3 Principais Tipos de Parcerias do Meio Corporativo – FCAP JR. Consultoria

3 Principais Tipos de Parcerias do Meio Corporativo

É muito comum vermos diversas empresas formando parcerias com outras organizações e construírem um relacionamento de benefício mútuo. Todavia, algumas vezes não entendemos muito bem o que isso significa na prática.

Neste conteúdo, falaremos sobre todo o conceito de parcerias no mundo corporativo, além de explanar sobre quais são os tipos de parcerias existentes e os principais benefícios de cada uma delas. Vamos à leitura.

Conceito

Podemos entender parceria como a união de esforços entre duas ou mais partes em prol de objetivos comuns. Objetivos estes que, provavelmente, seriam inatingíveis (ou quase) por uma empresa atuando sozinha.

Na prática, a ideia é que as partes sejam complementares uma da outra, seja esse complemento por competências, atuação geográfica e, em vários casos, pela troca de conhecimentos. Essas parcerias muitas vezes podem resultar até mesmo em fusões, incorporações ou Joint Ventures.

Porém, também existem parcerias que não têm objetivos operacionais. Nesses casos, o mais comum é que tenham um único e simples objetivo: Marketing. As marcas se associam com o intuito de utilizarem a imagem uma da outra para ganhar reconhecimento no mercado, viabilizando a captação de novos clientes. O intuito é agregar mais valor ao produto vendido e alcançar novos públicos, de modo a gerar maior visibilidade em ambos os segmentos.

O ponto-chave para que essa prática dê certo é que os objetivos e expectativas estejam alinhados, para que ambas as partes sejam de fato beneficiadas pela parceria. Uma vez com todos os pontos devidamente alinhados, firma-se o relacionamento.

Benefícios de se firmar parcerias

1- Diminuição da burocracia

Em uma parceria, a burocracia tende a reduzir para ambos os lados, pois a cooperação pode facilitar bastante os processos internos dos envolvidos. Porém, essa diminuição varia de acordo com a relevância da parceria para cada organização

2- Atuação cada vez mais estratégica

Uma redução nas burocracias pode trazer diversas otimizações nos processos internos das organizações. Com os processos internos consolidados, as empresas podem dar um enfoque maior para a gestão estratégica, visando a expansão do negócio.

3- Soma das competências

Um benefício de grande destaque quando falamos em parcerias. Como mencionado anteriormente, muitas parcerias têm como principal objetivo utilizar a expertise de cada uma das organizações com o intuito de criar um produto ou negócio, visando um retorno financeiro no longo prazo. Um caso muito conhecido e recente foi a parceria entre a Samsung e a IBM.

Esse tratado de cooperação tem como objetivo o desenvolvimento de chips para computadores com apenas 5 nanômetros. No futuro, essa parceria pode trazer grandes frutos para ambas as organizações. A Samsung, por exemplo, poderá utilizar esse chip em seus produtos e a IBM ganhará um maior destaque no mercado.

Quais os tipos de parceria existentes no mundo corporativo?

Agora que você já conhece o conceito e os objetivos de se firmar uma parceria, falaremos um pouco sobre os principais tipos de associação entre organizações!

1- Co-Branding

Traduzido como a união de duas marcas, o Co-Branding tem sido muito adotado no mercado de marketing e trouxe excelente resultados para as empresas tanto em ganhos financeiros e aumento das vendas quanto no aumento do valor agregado ao produto e na expansão da empresa (em vários segmentos).

Trata-se de uma parceria onde duas ou mais marcas se juntam em uma ação ou para promover um produto conjunto, aproveitando as qualidades e competências de cada uma delas e atendendo uma necessidade do mercado.

Os casos mais comuns de Co-branding são os que duas empresas se unem para lançar o mesmo produto ou combinar produtos diferentes numa espécie de bundle (pacote). Alguns exemplos conhecidos de Co-Branding são os casos Bob’s + Ovomaltine e OMO + Comfort. Ambas as empresas possuíam produtos do mesmo segmento mas, também, possuíam características complementares que possibilitavam o lançamento de um produto melhor.

2- Joint Ventures

Trata-se de um acordo comercial entre duas ou mais empresas, não importando seus segmentos, que decidem unir recursos para realizar uma tarefa específica, geralmente no viés de expansão e na criação de novos negócios. É uma parceria com tempo de duração determinado.

Tem a grande vantagem de que as organizações podem realizar transações livremente entre si sem que haja a necessidade de qualquer tipo de licenciamento ou aquisição, já que nem sempre é de interesse das mesmas.

Analisando a própria composição do nome desta parceria, podemos observar um ponto muito importante: ambas as palavras vêm do inglês, e traduzidas significam junto risco.. Em outras palavras, nesse tipo de associação não são compartilhados apenas recursos, mas também os riscos, custos e eventuais prejuízos.

É importante salientar que existem dois tipos de Joint Ventures: contratual e societária. Na primeira, não há formação de novas empresas, já na Joint Venture Societária, podemos observar a criação de novos negócios, sendo o caso mais comum a criação de spin offs.

Um caso muito conhecido de Joint Venture foi a Autolatina, onde houve a união entre a Volkswagen e a Ford, duas empresas automobilísticas. A união perdurou de 1987 até meados de 1996. Na época as fábricas e operações das duas empresas foram integradas,com o intuito de compartilhar os custos e potencializar os pontos fortes de cada uma. A experiência também esteve presente em Portugal com a criação da AutoEuropa. A Autolatina envolveu os mercados brasileiro e argentino.

3- Corporate Ventures

É expressão utilizada para denominar o sistema no qual grandes empresas investem capital e conhecimento em startups e novos negócios em geral.

As vantagens de fazer esse tipo de investimento vão além de gerar retorno financeiro sobre o valor investido, como também trazer novas ideologias e inovadoras, ter maior agilidade no lançamento de produtos no mercado, além de acesso a novas tecnologias e soluções, a um custo e risco reduzidos.

Por outro lado, o nome, poder de mercado e a economia de escala das grandes empresas é uma excelente oportunidade para Startups terem uma maior facilidade na entrada e consolidação no mercado.

Entre os exemplos mais famosos de empresas que receberam esse tipo de aporte financeiro estão : Pipefy, Nubank, 99 Taxis e Stone Pagamentos.

Cuidados essenciais

É de suma importância conhecer muito bem qualquer organização com a qual se cogite criar uma parceria. Afinal, o risco de haver um conflito de imagens é sempre existente, podendo gerar prejuízos para ambas as partes. Por isso, busque sempre por organizações que possuem valores alinhados com os da sua empresa, sempre levando em conta que o mais importante é encontrar um senso de complemento entre ambas.

Os riscos sempre existirão e o mundo corporativo está repleto deles, mas não se deve desistir no primeiro insucesso. O melhor a se fazer é estudar a fundo cada tipo de parceria e também quem serão seus parceiros. Dessa forma, é possível diminuir os riscos e criar parcerias que de fato impulsionem os resultados da sua empresa.

 



Deixe uma resposta