Scrum: Conheça a Metodologia para um Gerenciamento de Projetos mais Ágil – FCAP JR. Consultoria

Scrum: Conheça a Metodologia para um Gerenciamento de Projetos mais Ágil

A FCAP JR. Consultoria sempre prezou pela qualidade e eficiência no gerenciamento de seus projetos. A empresa toma como base duas vertentes de metodologias muito conhecidas que foram adaptadas para a realidade da FCAP JR. Consultoria tornando-as complementares. PMBOK e Scrum, foram usados de esboço o desenvolvimento das metodologias próprias da empresa, MGP (Modelo de Gerenciamento de Projetos) e MGPA (Modelo de Gerenciamento de Projetos Ágil), respectivamente.

Nesta oportunidade é a vez de conhecermos mais a fundo sobre como funciona a metodologia Scrum, um framework bastante conhecido no universo de consultoria, é um método que preza por um gerenciamento mais flexível, contendo três pilares básicos e três práticas fundamentais que se adaptam ao escopo de qualquer serviço, prezando pela otimização do tempo para tornar os processos mais ágeis.

Os 3 Pilares Básicos do SCRUM

Com o intuito de prever e controlar os riscos no decorrer de um projeto, o Scrum preza por seus 3 pilares básicos para se prevenir de possíveis riscos que possa ter futuramente.

1) Transparência: Aspectos significativos e padronizados a fim de que todos os membros da equipe saibam o que está sendo executado de forma macro e tenham total acesso às informações referentes ao projeto. Utilizar uma linguagem comum a todos os participantes de forma clara e direta faz total diferença.

2) Inspeção: É uma forma de assegurar que o acordado junto ao cliente está sendo realizado da maneira correta, inspecionando os artefatos e a evolução do projeto, podendo identificar oscilações indesejadas. OBS: deve-se ter cuidado quanto a periodicidade dessa inspeção, pois o seu excesso pode atrapalhar bastante a execução das atividades.

3) Adaptação: Traz a flexibilidade citada anteriormente, permitindo que sejam feitas alterações necessárias no decorrer do projeto, desde que sejam respeitados os valores e práticas do Scrum.

Práticas Fundamentais de Scrum 

Além destes pilares o Scrum possui suas Práticas Fundamentais que devem ser seguidas em todos os casos, independentemente do serviço ou área de atuação. é o que mantém o padrão e torna a metodologia funcional. Abaixo vamos destrinchar cada uma das 3 práticas fundamentais.

1) Artefatos: São os elementos característicos do Scrum, bom começar pelo artefatos para um entendimento melhor dos papeis e e dos eventos:

  • Product Backlog: É uma relação de funcionalidades de um determinado produto, literalmente falando, é o que o cliente final espera receber ao término da execução daquele projeto.
  • Sprint Backlog: O projeto é dividido em Sprints, períodos de curta duração (no máximo 4 semanas) sem variar o tempo de cada sprint de um para outro. Este método possui a finalidade de criar uma rotina e minimizar a necessidade de reuniões não previstas pelo Scrum.
  • Incremento/Entrega: Nada mais é do que o desmembramento do backlog em vários sprints, na prática é uma parte do backlog. Ao final de cada sprint é entregue uma parte diferente do backlog para que ao final do projeto ele esteja completo.

 

2) Papeis: Abaixo estão separados aqueles que compõem os papeis com seus respectivos deveres, vale ressaltar que o Scrum preza bastante pelo equipe, o time em si tem uma importância e valorização maior do que estamos acostumados a ver.

  • Scrum Master: É um especialista na metodologia Scrum, trabalha como um facilitador para que todos da equipe entendam, abracem os princípios e práticas do Scrum. Além disso ajuda a equipe a desenvolver uma abordagem própria da metodologia.
  • Product Owner: É um líder responsável por potencializar o valor do produto, do trabalho e pelos resultados entregues. Define quais recursos e funcionalidades serão utilizados juntamente na ordem em que se dará a execução. Além disso mantém todos os membros da equipe informados dos objetivos do projeto, priorizando os itens do Product Backlog.
  • Dev Team: São as pessoas que vão executar o projeto, elas que decidirão como farão as atividades, preza por uma equipe autogerenciável sem depender de ninguém de fora do time.

 

3)  Eventos: O Scrum traz um conceito denominado Time-boxing, com a ideia de determinar um tempo para cada tarefa de um projeto, auxiliando o time na gestão do seu tempo. Na prática, cada processo tem um número de horas específico para ele, fazendo com que o trabalho seja mais objetivo.

  • Sprint Planning: Antes do início de cada sprint, existe uma reunião de planejamento, momento em que será criado o backlog, definindo quais funcionalidades podem ser completamente finalizadas naquele sprint e ordenadas em nível de importância ou urgência.
  • Execução Sprint: O backlog será fracionado em partes de acordo com a importância das funcionalidades como foi planejado, cada sprint tem por objetivo entregar uma parte do backlog até que ao final de todos os sprints ele esteja completo.
  • Daily Scrum: É uma reunião diária com duração de 15 minutos em que cada membro do time vai responder a 3 perguntas, são elas: O que fiz ontem para o time bater a meta do sprint? O que vou fazer hoje para o time bater a meta do sprint? Tem algo que impeça o time de bater a meta do sprint?

Revisão Sprint: É uma reunião ao final do sprint, com o objetivo de validar e adaptar o produto que é consumido, verificar se o realizado está de acordo com o planejado.

Retrospectiva Sprint: Também ao final do sprint, tem a finalidade de verificar necessidades de adaptação no projeto, serão levantados todos os pontos positivos e negativos, o que será mantido e o que deixará de ser feito ou sofrerá mudanças para o próximo sprint.

CONCLUSÃO 

O Scrum, de fato está conquistando cada vez mais espaço no mercado por prezar pela agilidade mantendo os padrões de qualidade na execução, algo muito difícil de se englobar em uma metodologia.

No caso da FCAP JR. Consultoria, por exemplo, passamos a utilizar em diversos projetos e o resultado foi extremamente satisfatório decidimos utilizar principalmente nos projetos que necessitam de uma capacidade de inovação um pouco maior.



Deixe uma resposta